Rio Grande do Sul

PANDEMIA AVANÇA

Com mais um recorde de óbitos em 24 horas, RS soma 919 vítimas do coronavírus

Atualização preliminar do distanciamento controlado coloca 84,2% da população, em 15 regiões, sob bandeira vermelha

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Cenário de disseminação do coronavírus e da ocupação de leitos cresce no estado - Divulgação SES SEPLAG

Pelo segundo dia seguido, o Rio Grande do Sul registra recorde de mortes em decorrência do novo coronavírus. Conforme boletim da Secretaria da Saúde (SES) divulgado nesta sexta-feira (10), foram 49 óbitos nas últimas 24 horas. Com isso, chega a 919 o número de pessoas que já faleceram no estado desde o início da pandemia.

A SES informou ainda 1.089 novos casos da doença, elevando para 37.490 o total de casos já confirmados no estado. A covid-19 já está presente em 432 dos 497 municípios gaúchos.

Os novos óbitos são referentes a moradores dos municípios de Novo Hamburgo (6), Porto Alegre (6), São Leopoldo (5), Campo Bom (4), Gravataí (3), Bento Gonçalves (2), Caxias do Sul (2), Triunfo (2), Alvorada, Arambaré, Camaquã, Canoas, Capão da Canoa, Charrua, Cruz Alta, Eldorado do Sul, Estância Velha, Lajeado, Osório, Passo Fundo, Paverama, Rio Grande, São Lourenço do Sul, Seberi, Teutônia, Travesseiro e Três Passos.

Os leitos de UTI no estado apresentam, nesta sexta, taxa de lotação de 73,3%. Dos 1.649 pacientes internados, 527 têm covid-19 confirmada e 132 estão com suspeita. Somados, representam 40% dos pacientes graves. Já em Porto Alegre, a taxa de ocupação nesta sexta é de 84,51%. Dos 611 pacientes internados, 209 têm covid-19 confirmada e 38 estão com suspeita da doença – também 40% dos casos graves.

84,2% da população sob bandeira vermelha

Na décima rodada preliminar do distanciamento controlado, o Rio Grande do Sul tem 15 regiões com risco alto, ou seja, na bandeira vermelha. Essas regiões representam 84,2% da população gaúcha (9.535.519 habitantes). Na rodada definitiva do mapa anterior, eram seis regiões em vermelho, equivalente a 52,9% da população (5,9 milhões de habitantes). As bandeiras definitivas serão divulgadas na segunda-feira (13).

A análise preliminar dos índices de propagação do vírus e de ocupação dos leitos trouxe, novamente, as regiões de Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo, Capão da Canoa, Palmeira das Missões e Pelotas em bandeira vermelha. Essas áreas já haviam sido classificadas como alto risco na rodada anterior. As regiões de Taquara, Santo Ângelo, Cruz Alta, Santa Rosa, Erechim, Passo Fundo, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul e Santa Cruz do Sul evoluíram de bandeira laranja para vermelha nesta rodada.

Dos 391 municípios que compõem as áreas com bandeira vermelha, 218 cidades não tiveram registro de hospitalização e óbito por covid-19 de morador nos 14 dias anteriores ao levantamento. Por isso, se adequam à chamada “Regra 0-0” e podem adotar protocolos previstos na bandeira laranja por meio de regulamento próprio, sem necessidade de protocolar recurso.

Santa Maria, Ijuí, Uruguaiana, Bagé e Lajeado são as cinco regiões que permaneceram na bandeira laranja.

Conforme o governo gaúcho, os principais dados da décima rodada são:

• O número de novos registros de hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) de confirmados por Covid-19 aumentou 6% entre as duas últimas semanas (de 729 para 770);

• O número de internados em UTI por SRAG aumentou 11% entre as duas últimas quintas-feiras (de 582 para 647);

• O número de internados em leitos clínicos por Covid-19 aumentou 25% entre as duas últimas quintas-feiras (de 554 para 693);

• O número de internados em leitos de UTI por Covid-19 aumentou 21% entre as duas últimas quintas-feiras (de 418 para 504);

• O número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 no RS reduziu 9% entre as duas últimas quintas-feiras (de 653 para 594);

• O número de óbitos por Covid-19 aumentou 50% entre as duas últimas quintas-feiras (de 138 para 207).

• As regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, são Porto Alegre (254), Novo Hamburgo (112) Caxias do Sul (82), Canoas (69) e Passo Fundo (49).

Brasil tem mais de 70 mil mortes e de 1,8 milhões de infectados

Em todo o Brasil, nas últimas 24 horas, foram 1.214 óbitos e 45.048 novos casos de covid-19, segundo dados do Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) atualizados às 18h desta sexta. Com isso, o número de mortes chega a 70.398 e o de casos confirmados da doença alcança a marca de 1.800.827 no país.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  Organização Mundial de Saúde (OMS), em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]

Edição: Marcelo Ferreira