Rio Grande do Sul

Pandemia em números

RS tem mais de 268 mil pessoas já infectadas e de 6,5 mil óbitos por covid-19

Estado registra alta de casos e de internações em UTIs e tem 8 regiões sob bandeira vermelha

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Mapa de distanciamento da semana traz oito regiões em bandeira vermelha e 13 em bandeira laranja - Divulgação SES SEPLAG

Com 30 óbitos registrados nas últimas 24 horas, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta segunda-feira (23), sobe para 6.524 o número de vítimas por covid-19 no Rio Grande do Sul. O estado também já registra 298.670 infectados pela doença, com a confirmação de 1.284 novos casos pela SES. Dos confirmados, 276.366 (93%)) são considerados recuperados.

As vítimas fatais registradas hoje foram em Canoas (2), Novo Hamburgo (2), Porto Alegre, Caxias do Sul, Gravataí, Alvorada, Erechim, Esteio, Sapiranga, Viamão, Venâncio Aires, Parobé, Guaíba, Taquara, Estrela, Três Coroas, São Marcos, Panambi, Rio Pardo, Cidreira, Arvorezinha, Coronel Bicaco, Santo Augusto, Santo Cristo, Boqueirão do Leão, Augusto Pestana, Toropi e Caibaté

Internações em alta

A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado estava em 75, 9%, às 18h de hoje, sendo 1.922 pacientes em 2.531 leitos de UTI. De acordo com o governo do estado, vem se observando um aumento de casos e de internações confirmadas por covid-19.

Em Porto Alegre, a taxa de ocupação fechou a segunda-feira em 87,23%. A Capital chegou a registrar, nesta tarde, 246 pessoas hospitalizadas com confirmação da doença, maior número desde 27 de outubro, em seguida baixando para 243. A cidade apresenta alta nas internações após ter registrado 197 pessoas internadas no dia 5 de novembro.

Perfil dos infectados

Dos casos confirmados da doença no estado, 49% são mulheres (145.281) e 51% (153.389) homens. A maioria dos casos compreende pessoas de 30 a 39 anos (67.947casos). Já em relação à raça, a predominância é de pessoas declaradas brancas, com 236.875, seguido de não informados (31.658), pretos (13.797), pardos (10.793), amarelos (4.389) e indígenas (1.158). 

No estado, 18.288 profissionais da saúde foram diagnosticadas com a doença, assim como 10.560 imigrantes e 971 pessoas privadas de liberdade.

Mapa definitivo tem oito regiões em vermelho

Após análise do Gabinete de Crise, o mapa definitivo do modelo de Distanciamento Controlado da 29ª rodada, divulgado nesta segunda-feira, traz o estado com oito regiões em vermelho (risco epidemiológico alto). Dos 15 pedidos de reconsideração enviados neste final de semana, o gabinete deferiu cinco: Santa Maria, Guaíba, Caxias do Sul, Porto Alegre e Lajeado, que permanecem bandeira laranja nesta semana. Seguem na bandeira vermelha as regiões de Uruguaiana, Palmeira das Missões, Erechim, Passo Fundo, Capão da Canoa, Novo Hamburgo, Canoas e Ijuí.

Devido ao aumento de casos e de internações, em live nesta segunda-feira, o governador Eduardo Leite salientou que o momento não é de normalidade e pediu colaboração da população. “É importante que as pessoas lembrem que não estamos vivendo um momento de normalidade. Temos um vírus que circula entre nós e é importante que as pessoas não se aglomerem e reduzam os contatos. Não estamos pedindo que fiquem trancadas em casa, pois sabemos que é importante que as pessoas circulem, para a saúde mental e para a economia, mas que, ao circularem, ajudem seguindo os protocolos. Assim, poderemos conviver com o vírus de forma segura até a chegada da vacina, sem sobrecarregar os hospitais”, destacou. 

No momento, o RS tem 3.970.735 habitantes, o que corresponde a 35% da população gaúcha (total de 11,3 milhões de habitantes), em bandeira vermelha, distribuídos entre os 234 municípios (do total de 497) classificados como de alto risco de contágio de coronavírus. Desses, 105 municípios (426.536 habitantes, 3,8% da população gaúcha) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

Além disso, do total de 263 municípios em bandeira laranja (7.358.870 habitantes, 65% da população do RS), 125 (724.390 habitantes, 6,4% da população em bandeira laranja) podem adotar protocolos de bandeira amarela.

Atividades presenciais nas escolas

Conforme regra definida na 28ª rodada pelo Gabinete de Crise, a abertura das escolas e a manutenção das atividades presenciais nos colégios não será interrompida com a classificação da região em bandeira vermelha durante uma semana. É necessário que a região ingresse na segunda semana consecutiva em bandeira vermelha para que as escolas não possam abrir em uma região ou, se já abertas, devam fechar.

As regiões de Novo Hamburgo, Canoas, Ijuí e Capão da Canoa foram classificadas pela segunda semana consecutiva em bandeira vermelha. De acordo com a nova regra, as escolas privadas e públicas deverão interromper as aulas que já estavam ocorrendo ou adiar o retorno, caso ainda não estivessem recebendo alunos de forma presencial. Eventos só podem ocorrer em municípios que autorizarem e que estão no processo de retomada escolar.

Veja o mapa definitivo em https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br

País tem mais de 169 mil vítimas fatais

Conforme o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass), foram registrados, nesta segunda-feira, 302 óbitos e 16.207 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 169.485 mortes e 6.087.608 de contaminados pelo novo coronavírus. 

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.  

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS
Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Edição: Marcelo Ferreira