Rio Grande do Sul

Pandemia avança mais

Com 5.050 novos casos, RS passa dos 359 mil infectados por covid-19

Nas últimas 24 horas foram registrados 73 óbitos, elevando para 7.388 o número de vítimas fatais

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Alerta na capital gaúcha: ocupação de leitos está perto de 94% - Fotos Públicas

Foram registrados 73 óbitos no Rio Grande do Sul, nas últimas 24 horas, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta quarta-feira (9). Com isso, já são 7.388 vidas perdidas por conta da covid-19 no território gaúcho. O estado também já registra 359.544 infectados pela doença, com a confirmação de 5.050 novos casos pela SES. Dos confirmados, 331.960 (92%) são considerados recuperados. 

Porto Alegre foi a cidade com o maior número de vítimas fatais, com 14 óbitos. Os demais foram registrados em Caxias do Sul (7), Pelotas (7), Novo Hamburgo (3), Campo Bom (3), Passo Fundo (2), Erechim (2), Esteio (2), Frederico Westphalen (2), Canoas, Gravataí, Rio Grande, Bento Gonçalves, Cachoeirinha, Sapiranga, Viamão, Uruguaiana, Cruz Alta, Guaíba, Carazinho, Bagé, Santo Ângelo, Torres, Vacaria, Canela, Estância Velha, Santo Antônio da Patrulha, Palmeira das Missões, Santiago, Tramandaí, Cachoeira do Sul, Panambi, Arroio do Meio, Casca, São Francisco de Assis, Tapes, São Martinho, Tupanciretã, Barra do Ribeiro e Presidente Lucena. 

Ocupações de UTI seguem em alta

A taxa de ocupação de leitos de UTI em todo o estado segue alta, mantendo-se nos últimos dias acima de 80%. Às 18h de hoje, estava em 83,5%, sendo 2.124 pacientes em 2.544 leitos de UTI. Entre os internados, 907 (42,7%) têm covid-19 confirmada e 190 têm suspeita da doença. Das sete macrorregiões do estado, apenas a Missioneira e Norte estão abaixo de 80% das ocupações.

Os leitos privados no estado apresentam superlotação, com taxa de ocupação em 101,9%, puxado pela macrorregião Vales, que está com 31 pacientes utilizando os 15 leitos disponíveis (ocupação de 206,7%). Também estão superlotados os leitos privados da macrorregião Sul, com 33 pacientes em 23 leitos (ocupação de 143,5%), e da Metropolitana, com 372 pacientes em 362 leitos (102,8%). Já no SUS, a taxa geral de ocupação no estado está em 76,9%.

Em Porto Alegre, a taxa de ocupação das UTIs fechou a quarta-feira em 93,99%, restando apenas 75 leitos livres - a menor quantidade desde o dia 20 de março. O Hospital Vila Nova excedeu sua capacidade e está com 206.67% de ocupação. Três hospitais estão com lotação máxima: Hospital Moinhos de Vento, Hospital Mãe de Deus, Hospital Ernesto Dornelles e Hospital Independência. Entre os 704 pacientes internados, 290 têm covid-19 confirmada, 29 têm suspeita da doença e 19 estão na emergência aguardando UTI.

Pelo segundo dia consecutivo, país registra mais de 50 mil novos casos 

Conforme o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass), foram registrados, nesta quarta-feira, 836 óbitos e 53.453 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 178.995 mortes e 6.728.452 contaminados pelo novo coronavírus. 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o mundo contabilizou a soma de 67.210.778 casos de covid-19 (494.744 novos em relação ao dia anterior) e de 1.540.777 mortes (7.707 novas em relação ao dia anterior) esta terça-feira (8). De acordo com a entidade, enquanto no mundo houve uma estabilização de novos casos da doença, o Brasil teve um acréscimo de 35% em comparação à semana anterior.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.  

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

 

Edição: Marcelo Ferreira