Rio Grande do Sul

Pandemia em números

Rio Grande do Sul registrou 74 óbitos nas últimas 24 horas pela covid-19

Já são 10.196 vidas perdidas no território gaúcho desde o início da pandemia e 520.313 infectados pela doença

Brasil de Fato | Porto Alegre |
vacina de covid
Dos 497 municípios gaúchos, apenas quatro ainda não retiraram as doses da vacina contra a covid-19 - Créditos da foto: Reprodução

O Rio Grande do Sul registrou 74 óbitos nas últimas 24 horas pela covid-19, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta quinta-feira (21). Com isso, já são 10.196 vidas perdidas no território gaúcho desde o início da pandemia. O estado também registra 520.313 infectados pela doença, com a confirmação de 4.198 novos casos pela SES. Dos confirmados, 2.008 pacientes em 2.660 leitos de UTI são considerados recuperados.

Porto Alegre foi a cidade com o maior registro de vítimas fatais, sendo 13 óbitos, seguida de São Leopoldo (5), Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Santa Maria, com 3 registros cada. Na sequência Canoas, Passo Fundo, Alvorada, Bento Gonçalves, Viamão, São Borja, Santana do Livramento, Estância Velha e Lagoa Vermelha, com 2 registros de óbitos. Nenhuma outra cidade teve registro de mais de uma vítima fatal. Dos 497 municípios gaúchos, apenas 73 não têm vítimas fatais. 

O estado registrou nesta quinta, o primeiro óbito por Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), em criança, associada ao coronavírus. Trata-se de um menino de 7 anos residente em Alto Feliz, na Serra. A criança recebeu tratamento com imunoglobulina, precisou de internação em UTI, vindo a óbito em 11 de janeiro.

Conforme explica a SES, a doença está associada ao coronavírus, com manifestações tardias após a infecção, podendo ou não a criança ter apresentado sintomas respiratórios da covid-19. No Rio Grande do Sul, desde agosto, quando iniciou a investigação dessa síndrome no país, já foram confirmados 25 casos, dos quais 24 tiveram a evolução de alta hospitalar. As idades variam de 0 a 15 anos.

Taxa de ocupação dos leitos em UTI

Às 18h desta quinta, a taxa de ocupação de leitos em UTI, em todo o estado, estava em 75,5%, sendo 2.008 pacientes em 2.660 leitos. Entre os internados, 837 (41,7%) têm covid-19 confirmada e 127 com suspeita da doença.

Em Porto Alegre, a taxa de ocupação das UTIs fechou o dia em 84,74%. Os hospitais Moinhos de Vento e Vila Nova registraram lotação máxima. Entre os 672 pacientes internados, 273 têm covid-19 confirmada, 22 têm suspeita da doença e 6 estão na emergência aguardando UTI.

Vacinação 

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde dos 497 municípios gaúchos, apenas quatro ainda não retiraram as doses da vacina contra a covid-19 nas respectivas Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS). A totalidade das entregas deve ser concluída nesta quinta-feira (21). A distribuição das doses para cada município segue critérios definidos por meio da nota técnica da Divisão de Vigilância Epidemiológica, do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), e seguindo protocolos do Ministério da Saúde. 

De acordo com a nota técnica da secretaria, os municípios terão doses suficientes para vacinar 34% dos profissionais de saúde. “Todos os profissionais de saúde e outros grupos prioritários, como idosos não institucionalizados, serão vacinados conforme o estado for recebendo novas remessas de vacina”, salienta a entidade

O governo do Rio Grande do Sul lançou esta semana o TeVacinaRS, site que traz informações oficiais sobre a campanha de vacinação contra a covid-19 no estado. Por sua vez a Prefeitura de Porto Alegre, lançou o “vacinômetro”, ferramenta para acompanhar vacinação contra covid-19. O dispositivo apresenta a soma de doses registradas no sistema de informações, público-alvo das fases da campanha, porcentagem do público-alvo vacinado para a fase atual da campanha e gráficos com doses administradas diariamente e registradas, além de número acumulado de doses administradas. Os dados são atualizados a cada hora a partir da inserção de registros no sistema de informação da campanha pelos estabelecimentos de saúde. 

Também foi lançada nesta quinta-feira (21), em todo o Brasil, a campanha #TodosPelasVacinas. A iniciativa reúne organizações ligadas à divulgação científica, entidades científicas, artistas e personalidades públicas. A iniciativa tem como objetivo promover a conscientização sobre a importância da vacinação contra a covid-19 e outras doenças preveníveis por vacinas. 

Organizada pela Abrasco, Blogs de Ciência da Unicamp, Cosems/SP, Equipe Halo/Nações Unidas (ONU), Instituto Questão de Ciência, Núcleo de Pesquisas em Vacinas da USP (NPV-USP), Observatório COVID-19 BR, Rede Análise COVID-19, ScienceVlogs Brasil, Sociedade Brasileira de Imunologia, Sociedade Brasileira de Virologia, Sociedade Brasileira de Microbiologia, União Pró-Vacina e Projeto Divulgar, a campanha se propõe a criar um espaço de diálogo com a população, disponibilizando conteúdos preparados por especialistas, além de permitir que as pessoas tirem dúvidas sobre a imunização contra a covid-19. 

No site da campanha estão disponíveis podcasts criados pelas organizações parceiras, além de outros materiais, como o e-book “Guia Prático sobre as Vacinas. 

Pelo terceiro dia consecutivo país registra mais de mil óbitos

O Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) registrou, em boletim publicado hoje (21), 1.316 óbitos e 59.119 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 214.147 mortes e 8.697.368 contaminados pelo novo coronavírus. 

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.  

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected] 


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Edição: Katia Marko