Rio Grande do Sul

PANDEMIA AVANÇA

Com 32 óbitos, Rio Grande do Sul tem recorde de mortes em 24 horas nesta terça (30)

Já são 614 vítimas fatais no estado, que soma quase 27 mil pacientes infectados desde o início da pandemia

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Mapa mostra a incidência da doença por 100 mil habitantes nos municípios gaúchos - Divulgação SES

Com 32 novos óbitos em decorrência do novo coronavírus, o Rio Grande do Sul registrou, nesta terça-feira (30), seu recorde diário de mortes em 24 horas pela doença, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES). Com isso, o número total de vítimas no estado chega a 614 pessoas.

Somente em Porto Alegre foram cinco óbitos, em Novo Hamburgo foram quatro e em São Leopoldo três. Em sua conta no Twitter, a SES informa que os registros são de residentes dos municípios de:

- Barra do Ribeiro (homem, 63 anos)

- Cachoeirinha (mulher, 60 anos)

- Campo Bom(mulher, 84 anos; mulher, 90 anos)

- Canoas (mulher, 72 anos)

- Caraá (homem, 82 anos)

- Caxias do Sul (homem, 46 anos; homem, 81 anos)

- Guaíba (homem, 41 anos)

- Harmonia (mulher, 46 anos)

- Imbé (homem, 76 anos)

- Lajeado (homem, 80 anos)

- Nova Santa Rita (mulher, 51 anos)

- Novo Hamburgo (homem, 61 anos; mulher, 68 anos; mulher, 70 anos; mulher, 77 anos)

- Santo Ângelo (homem, 84 anos)

- São José do Norte (homem, 71 anos)

- Porto Alegre (homem, 65 anos; homem, 68 anos; mulher, 74 anos; homem, 89 anos; homem, 89 anos)

- Rio Grande (homem, 83 anos; homem, 86 anos)

- São Leopoldo (homem, 45 anos; homem, 78 anos; mulher, 96 anos)

- Teutônia (homem, 70 anos)

- Tramandaí (homem, 68 anos)

- Três Passos (homem, 61 anos)

Ainda segundo dados da SES, foram registrados 1.293 novos casos da covid-19, elevando o total de contaminados desde o início da pandemia para 26.941. A doença já infectou moradores de 403 das 497 cidades gaúchas, equivalente a 81% dos municípios do estado.

Brasil perto de 60 mil mortes

O número oficial de mortes por covid 19 no Brasil chegou a 58.314, de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) divulgados na segunda-feira (29). A taxa de mortalidade no país é de 4,3% e, somente na semana entre os dias 14 a 20 de junho (semana epidemiológica 25), 7.256 brasileiros morreram por causa da doença. Esse é o resultado mais grave registrado no país desde o início da pandemia e os registros de óbitos no Brasil representam mais de 10% do índice global.

Informações do Conass indicam ainda que a quantidade de pessoas infectadas também continua crescendo. Desde que o vírus chegou ao Brasil 1.368.195 pessoas contraíram a doença. Entre domingo (28) e segunda-feira (29) foram 24.052 confirmações. Mais de 217 mil registros foram feitos somente na semana epidemiológica 25.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  Organização Mundial de Saúde (OMS), em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]

Edição: Marcelo Ferreira