Rio Grande do Sul

CORONAVÍRUS AVANÇA

RS tem mais de 354 mil infectados e de 7,3 mil vítimas fatais por conta da covid-19

Nas últimas 24 horas foram registrados 4.347 novos casos e 81 óbitos

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Taxa de ocupação de leitos de UTI em todo o estado segue alta, mantendo-se nos últimos dias ao redor de 80%. - HCPA/ Divulgação

Foram registrados 81 óbitos no Rio Grande do Sul, nas últimas 24 horas, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta terça-feira (8). Com isso, já são 7.316 vidas perdidas por conta da covid-19 no território gaúcho. O estado também já registra 354.683 infectados pela doença, com a confirmação de 1.658 novos casos pela SES. Dos confirmados, 327.381 (92%) são considerados recuperados.

Porto Alegre foi a cidade com o maior número de vítimas fatais, com 17 óbitos. Os demais foram registrados em Caxias do Sul (4), Pelotas (4), Novo Hamburgo (3), Alvorada (2), Sapucaia do Sul (2), Campo Bom (2), Sapiranga (2), Viamão (2), Uruguaiana (2), Alegrete (2), Guaporé (2), Glorinha (2), Canoas, Passo Fundo, Rio Grande, Erechim, Cachoeirinha, Esteio, Osório, Santa Cruz do Sul, Farroupilha, Venâncio Aires, Guaíba, Bagé, Vacaria, Santo Antônio da Patrulha, Palmeira das Missões, Santiago, Rosário do Sul, Estrela, Panambi, Arroio do Meio, São Lourenço do Sul, São Sepé, Tupanciretã, Jaguari, Boa Vista do Buricá, Catuípe, Araricá, Palmares do Sul, Crissiumal, Paulo Bento, Pejuçara, Nova Pádua, Nova Boa Vista, Santo Antônio das Missões e Guarani das Missões.

Ocupações de UTI seguem em alta

A taxa de ocupação de leitos de UTI em todo o estado segue alta, mantendo-se nos últimos dias ao redor de 80%. Às 18h de hoje, estava em 81,8%, sendo 2.089 pacientes em 2.554 leitos de UTI. Entre os internados, 900 (43%) têm covid-19 confirmada e 160 têm suspeita da doença. A taxa de ocupação dos leitos privados está em 97,8%, enquanto do SUS está em 76,2%.

Em Porto Alegre, a taxa de ocupação das UTIs fechou a terça-feira em 89,51%. Quatro hospitais estão com lotação máxima: Hospital Moinhos de Vento, Hospital Mãe de Deus, Hospital Ernesto Dornelles e Hospital da Restinga. Entre os 691 pacientes internados, 293 têm covid-19 confirmada, 25 têm suspeita da doença e 22 estão na emergência aguardando UTI.

País tem mais de 178 mil vítimas fatais

Conforme o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass), foram registrados, nesta terça-feira, 842 óbitos e 51.088 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 178.159 mortes e 6.674.999 contaminados pelo novo coronavírus. 

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.  

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Edição: Marcelo Ferreira