Rio Grande do Sul

Pandemia em números

Mais de 95% da população do RS está sob alto risco de contaminação por covid-19

Estado se aproxima dos 9.500 mortos, com quase 490.000 infectados. Destes 457.266 (95%) são considerados recuperados

Brasil de Fato | Porto Alegre |
19 das 21 regiões Covid estão em bandeira vermelha no estado esta semana - Divulgação SES SEPLAG

O Rio Grande do Sul registrou 59 óbitos nas últimas 24 horas pela covid-19, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta segunda-feira (11). Com isso, já são 9.498 vidas perdidas no território gaúcho desde o início da pandemia.

O estado também já registra 482.062 infectados pela doença, com a confirmação de 1.699 novos casos pela SES. Dos confirmados, 457.266 (95%) são considerados recuperados.

Pela primeira vez em semanas, Porto Alegre não esteve entre as cidades que mais registraram vítimas fatais. No mais recente boletim divulgado pela SES, Novo Hamburgo registrou 6 óbitos, seguida por Pelotas, com 5 mortes, e Gravataí, com 3. Na sequência, estão Porto Alegre, Passo Fundo, Campo Bom, Esteio, Bagé, Taquara, Imbé, Tuparendi e Picada Café com 2 óbitos cada. Nenhuma outra cidade teve registro de mais de uma vítima fatal.

A quantidade de municípios que ainda não registraram mortes por covid-19 segue caindo: dos 497 municípios gaúchos, apenas 85 não têm registro de vítimas fatais. 

Com indeferimento de recursos, mapa definitivo do Distanciamento Controlado confirma 19 das 21 regiões na bandeira vermelha

Nesta segunda-feira (11) todos os cinco pedidos de reconsideração ao mapa preliminar da 36ª rodada do Distanciamento Controlado foram negados. Dessa forma, o Rio Grande do Sul ficou com mais de 95% da sua população sob bandeira vermelha, ou seja, sob risco alto de contaminação.

"Apenas duas regiões – Ijuí e Santa Rosa – ficaram classificadas na bandeira laranja. O mapa definitivo tem vigência de terça (12) até a próxima segunda-feira (18)", informa o governo do estado.

Confira a classificação definitiva da 36ª rodada aqui.

O governo anuncia também que haverão algumas mudanças em protocolos, que deverão ser publicados no próximo decreto semanal de atualização das bandeiras vigentes. Confira aqui as mudanças.

Taxa de Ocupação de leitos segue crescendo: mais de 77% estão ocupados

Às 18h de hoje, a ocupação em todo o estado estava em 77,6%, sendo 2.048 pacientes em 2.640 leitos de UTI. Na rede privada, a ocupação era de 85,6% e no Sistema Único de Saúde, 74,6%. Entre os internados, 852 (41,6%) têm covid-19 confirmada e 152 têm suspeita da doença.

Em Porto Alegre, a quantidade de pacientes com covid-19 segue abaixo de 300. A taxa de ocupação das UTIs fechou o dia em 87,93%.

Hospital da Restinga, Ernesto Dornelles e Moinhos de Vento estão com lotação máxima, sendo que o Instituto de Cardiologia já extrapolou sua capacidade, com mais pacientes de covid-19 confirmados do que leitos disponíveis. Hospital de Pronto Socorro, Cristo Redentor, Mãe de Deus e Nossa Senhora da Conceição estão com mais de 90% de seus leitos de UTI ocupados.

Entre os 692 pacientes internados na cidade, 266 têm covid-19 confirmada, 34 têm suspeita da doença e 8 estão na emergência aguardando UTI.

Perfil dos infectados

Dos casos confirmados da doença no estado, 53% são mulheres (256.603) e 47% (225.459) homens. A maioria dos casos compreende pessoas de 30 a 39 anos (108.860 casos), seguido das pessoas de 20 a 29 (91.060) e 40 a 49 (88.098). Já em relação à raça, a predominância é de pessoas declaradas brancas, com 370.592, seguido de não informados (67.013), pretos (20.112), pardos (17.345), amarelos (5.536) e indígenas (1.474).

No estado, 23.269 profissionais da saúde foram diagnosticados com a doença, assim como 11.153 imigrantes e 972 pessoas privadas de liberdade.

País vive terceira semana epidemiológica seguida de crescimento de média de casos

O Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) registrou, em boletim publicado hoje (11), mais 480 óbitos e 25.822 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 203.580 mortes e 8.131.612 contaminados pelo novo coronavírus.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.  

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Edição: Katia Marko