Rio Grande do Sul

Pandemia em números

Com 1.933 novos casos, RS tem mais de 590 mil pessoas já infectadas 

Foram confirmados 72 óbitos, hoje, no estado, elevando para 11.479 o número mortes por covid-19

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Taxa de ocupação de leitos de UTIs preocupa e já leva hospitais a restringir atendimento - Agência Belém

O Rio Grande do Sul registrou 72 óbitos nas últimas 24 horas pela covid-19, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta quarta-feira(17). Com isso, já são 11.479 vidas perdidas no território gaúcho desde o início da pandemia. O estado também registra 590.134 infectados pela doença, com a confirmação de 1.933 novos casos pela SES. Dos infectados até o momento, 564.956 (96%) são considerados recuperados e 13.639 (2%) estão em acompanhamento. 

Porto Alegre foi a cidade com o maior número de vítimas fatais, sendo 12 óbitos, seguida de Santa Maria (5), Caxias do Sul e Novo Hamburgo (4). Gramado, São Borja e Canela tiveram 3 óbitos cada. Passo Fundo, Gravataí, Sapiranga, Campo Bom, Viamão, Ijuí, Bagé, Taquara e Taquari, 2 óbitos cada. Nenhuma outra cidade teve registro de mais de uma vítima fatal hoje. Dos 497 municípios gaúchos, apenas 62 não têm registro de vítimas fatais.

Taxa de ocupação em Porto Alegre segue em alta

Às 18h desta quarta, a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em todo o estado estava em 79,2%, sendo 2.119 pacientes em 2.674 leitos de UTI. Entre os internados, 975 (45,7%) têm covid-19 confirmada e 178 têm suspeita da doença .

Já em Porto Alegre, a taxa de ocupação está em 91,28%. Os hospitais Moinhos de Vento, São Lucas, Vila Nova e Restinga estão com as UTIs em lotação máxima. Sete hospitais estão com lotação superior a 90%. Além disso, a Capital segue acima da marca dos 300 pacientes com covid-19. Entre os 722 pacientes internados na cidade, 310 têm covid-19 confirmada, 38 têm suspeita da doença e 18 estão na emergência aguardando UTI.

Nesta quarta-feira, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre anunciou a restrição de atendimentos, por conta do aumento expressivo no número de atendimentos a suspeitos e confirmados de covid-19, com alta demanda na Emergência, em leitos de enfermaria e em leitos críticos. Cirurgias eletivas que demandem leitos de CTI foram canceladas até sábado (20), bem como estão canceladas por tempo indeterminado todas as internações clínicas eletivas.

Vacinação 

O RS recebeu, até o momento, 704.400 doses de vacina contra o coronavírus, sendo 588.400 vacinas CoronaVac, produzida pelo laboratório Sinovac em parceira com o Instituto Butantan, e 116 mil vacinas de Oxford/AstraZeneca, em parceria com a Fiocruz, conforme balanço do governo estadual. Já foram distribuídas 701.623 referentes à 1ª dose e a 2ª dose. Até as 18h de hoje (17), 369.469 pessoas foram imunizadas, sendo 360.476 com a primeira dose e 8.993 com a segunda. Foram imunizados 239.321 em profissionais da saúde, 73.868 em idosos a partir de 80 anos de idade, 35.613 em idosos residentes em instituições de longa permanência, 8.588 em indígenas e 1.807 em pessoas portadoras de deficiência.  

O Governo do Estado anunciou, nesta quarta-feira (17), a estimativa de receber 300 mil novas doses da vacina CoronaVac na próxima terça-feira (23). 

Em Porto Alegre foram recebidas, até o momento, 128,05 mil doses destinadas a 122.023 pessoas do grupo prioritário, na capital. Já foram vacinadas 93.113 pessoas, 76,39% do público-alvo: 58.441 profissionais de saúde (70,87%do total), 17.040 idosos e pessoas com deficiência institucionalizados, mais idosos acamados (102,97%), 16.594 idosos com 83 anos ou mais (77,17%%) e 1.038 da população Indígena e Quilombola (67,98%).

No Brasil já foram vacinados 5.390.218 pessoas com a primeira dose e 604.966 com a segunda, totalizando 5.995.184 doses aplicadas, de acordo com a plataforma CoronavirusBot

Para coibir que pessoas fora dos grupos prioritários da campanha de vacinação contra a covid-19 sejam vacinados indevidamente, a Secretaria da Saúde e o Ministério Público do Estado lançaram um formulário para denúncias de possíveis “fura-filas” da vacina. O formulário pode ser acessado aqui. 

País acumula mais de 242 mil mortes por covid-19

O Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) registrou, em boletim publicado hoje (17), 1.150 óbitos e 56.766 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma mortes 242.090 e 9.978.747 contaminados pelo novo coronavírus. 

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.  

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Edição: Marcelo Ferreira