Rio Grande do Sul

NÚMEROS DA PANDEMIA

Com 23 óbitos por covid-19 nas últimas 24 horas, RS já tem 582 vítimas da doença

Governo estadual fechou mapa do distanciamento controlado da semana com seis regiões em risco epidemiológico alto

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Já o número de novos casos da doença no último dia foi de 436 pessoas, elevando o total de casos confirmados para 25.659 - Sebastien Bozon/AFP

O Rio Grande do Sul registrou 23 novas mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, segundo o boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado na tarde desta segunda-feira (29). Com isso, o total de óbitos no estado desde o início da pandemia subiu para 582.

Os novos óbitos são de residentes dos municípios de:

- Bento Gonçalves (mulher, 87 anos)

- Canoas (homem, 73 anos; mulher, 93 anos)

- Carazinho (homem, 81 anos)

- Erechim (homem, 75 anos)

- Esteio (mulher, 78 anos)

- Marau (mulher, 68 anos)

- Novo Hamburgo (homem, 71 anos)

- Passo Fundo (homem, 84 anos; mulher, 88 anos)

- Pelotas (homem, 69 anos)

- Piratini (homem, 58 anos)

- Porto Alegre (mulher, 35 anos; homem, 66 anos; homem, 67 anos; mulher, 81 anos)

- Rio Pardo (mulher, 87 anos; mulher, 89 anos)

- Rio Pardo (mulher, 93 anos)

- São Leopoldo (homem, 44 anos)

- São Luiz Gonzaga (mulher, 88 anos)

- Sapiranga (homem, 50 anos)

- Tapera (mulher, 84 anos)

Já o número de novos casos da doença no último dia foi de 436 pessoas, elevando o total de casos confirmados para 25.659. Conforme a SES, o número estimado recuperados é de 20.625 (80% dos casos) e o de pacientes em acompanhamento é de 4.452 (17% dos casos). O novo coronavírus já está presente em 401 das 497 cidades gaúchas, equivalente a 81 % dos municípios.

O levantamento estadual aponta a cidade de Porto Alegre com maior número de óbitos por covid-19, com 84 (4 nesta segunda). Em seguida está Passo Fundo com 44 óbitos (2 nesta segunda), seguido de Bento Gonçalves com 31 (1 nesta segunda), Lajeado com 21 e Canoas com 19 (2 nesta segunda).

Seis regiões do RS com bandeira vermelha

Bandeiras do distanciamento controlado após revisão / Divulgação SES SEPLAG

Três das nove regiões que haviam sido classificadas com a bandeira vermelha pelo governo gaúcho na versão preliminar do distanciamento controlado tiveram sua classificação revista no mapa final, após recursos enviados pelos municípios. Com isso, as regiões de Erechim, Caxias do Sul e Palmeira das Missões mantêm a bandeira laranja e os protocolos de risco médio. O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Leite, na tarde desta segunda-feira, em videoconferência.

As demais regiões previamente em risco alto, Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo, Canoas, Passo Fundo e Santo Ângelo, ficam com a bandeira vermelha no mapa final do modelo. Os municípios classificados como risco epidemiológico alto permanecem com protocolos de isolamento social mais restritivos por no mínimo duas semanas a partir desta terça-feira (30).

O mapa e os protocolos de referência para cada bandeira e setor podem ser consultados em https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br. A vigência começa à 0h desta terça-feira (30) e se encerra às 23h59 da próxima segunda-feira (6).

Hospitalizações

Conforme dados do governo estadual, umentou o número de novos registros de hospitalizações por covid-19, nos últimos sete dias. Comparado com a semana anterior, apresentou aumento de 20%, passando de 512 para 613. O mesmo se observa com o número de internados em leitos clínicos para covid-19, que passou de 365 para 478 – crescimento de 31%.

A quantidade de internados em UTI por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) passou de 366 para 459. O agravamento também é observado no número de casos ativos na última semana, que alcançou 3.340. Por fim, com relação ao número de leitos de UTI livres no último dia, o quantitativo reduziu de 587 para 264.

Números seguem aumentando em todo o Brasil

O Brasil chegou à marca de 57.622 mil mortes em decorrência do novo coronavírus neste domingo (28), segundo dados do Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass). Nas últimas 24 horas, foram registradas 552 mortes e o registro de novos infectados foi 30.476. Em todo o mundo, o número de infectados já supera 10 milhões. 

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]

Edição: Marcelo Ferreira