Rio Grande do Sul

NÚMEROS DA PANDEMIA

Rio Grande do Sul registra 500 óbitos por covid-19 após três meses da primeira morte

Secretaria Estadual da Saúde confirmou 1.162 novos casos da doença no estado, totalizando 22.009 infectados

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Mapa de casos confirmados por região mostra interiorização da doença, que já atinge 383 cidades gaúchas - Divulgação SES

Com 23 novas mortes confirmadas nas últimas 24 horas pela Secretaria Estadual da Saúde (SES), o número de óbitos por covid-19 chegou a 500 no Rio Grande do Sul. A marca é atingida três meses após o primeiro falecimento em decorrência da doença, completados nesta quarta-feira (24).

Em sua conta no Twitter, a SES informa que os óbitos registrados são de residentes nos municípios de:

- Alvorada (homem, 53; homem, 75)

- Araricá (homem, 89)

- Bento Gonçalves (homem, 85; mulher, 67)

- Butiá (homem, 38)

- Cachoeirinha (homem, 56)

- Canoas (mulher, 93; homem, 56)

- Carlos Barbosa (mulher, 87)

- Gravataí (homem, 49)

- Guaíba (homem, 82; homem, 70)

- Passo Fundo (mulher, 83)

- Porto Alegre (mulher, 70; homem, 65)

- Santa Maria (homem, 67)

- Santo Ângelo (mulher, 108)

- Santo Ângelo (mulher, 85; homem, 64)

- São Jerônimo (homem, 63)

- Viamão (homem, 73)

- Xangri-lá (mulher, 68)

Ainda conforme a SES, foram registrados 1.162 novos casos da doença no estado, que acumula 22.009 casos confirmados desde o início da pandemia. Desse total, 17.580 já são considerados curados (80%), enquanto 3.929 pessoas seguem com a doença ativa.

:: Quatro regiões do RS seguem com bandeira vermelha e Porto Alegre aumenta restrições ::

O coronavírus já é registrado em 383 dos 497 municípios gaúchos, equivalente a 77 % das cidades do RS. A atual taxa de ocupação dos leitos de UTI no estado é de 71,3%. Duas regiões covid apresentam lotação maior que 90%: Ijuí, com 92,3% dos leitos ocupados, e Novo Hamburgo, com 92,5% de ocupação.

Pandemia segue alarmante no Brasil

Em apenas 24 horas entre a segunda (22) e terça-feira (23) ocorreram mais de 1,3 mil mortes causadas pela covid-19 em todo o Brasil, segundo dados do Conselho Nacional de Secretarias de Saúde. Neste período, foram registrados 39.436 novos casos, indicando um crescimento acelerado da pandemia.

Com a taxa de letalidade brasileira calculada em 4,6%, o número total de infectados chegou a 1.145.906. Em todo o país 52.649 pessoas já morreram por causa da doença.

O estado que mais registra números absolutos de casos e mortes é São Paulo, que na terça-feira voltou a registrar resultados recorde. Foram 434 mortes desde o dia anterior, maior número registrado desde que a pandemia chegou ao país. A região tem hoje mais de 13 mil óbitos e quase 230 mil casos da doença, sendo que mais de 7,5 mil só nas últimas 24 horas.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns, como a síndrome respiratório do Oriente Médio (MERS) a crises mais graves, como a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19. 

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]

Edição: Marcelo Ferreira